Reforma Luterana

Reforma Luterana

Martinho Lutero
Martinho Lutero

Lutero se tornou monge e em 1507, foi ordenado sacerdote. Ele foi enviado a Roma pela ordem agostiniana para tratar de negócios e se deparou com uma Cúria que enfrentava graves problemas financeiros devido a construção da Basílica de São Pedro.

Para arrecadar dinheiro, os líderes da Igreja introduziram a prática da venda de indulgências, alegando que as pessoas poderiam alcançar o perdão por seus pecados fazendo boas ações ou pagando à Igreja. 

“Tão logo uma moeda na caixa cai, a alma do purgatório sai.” Este ditado é atribuído ao monge dominicano Johan Tetzel, que era conhecido por vender indulgências em toda a Alemanha. 

Em 31 de outubro de 1517, escandalizado com o vergonhoso espetáculo que a Igreja Católica oferecia e indignado com a venda de indulgências, Lutero escreveu ao arcebispo Albrecht de Mainz pedindo a correção e disputa acadêmica, ou seja, um debate sobre o assunto.

Segundo o reformista, ele pregou nas portas da igreja de Wittenberg as 95 teses que desafiavam o poder de Roma. Isso, no entanto, nunca foi provado. Foram produzidos folhetos com as teses, o que garantiu grande circulação. Já a Igreja recusou o debate teológico proposto pelo religioso, Lutero não quis se retratar. 

A Reforma

 

Alguns princípios da reforma protestante de Lutero:

  1. A salvação do homem é feita apenas pela “justificação da fé”. Jejuns, peregrinações e sacramentos – ou a intercessão de padres e santo – não têm qualquer efeito para a redenção do homem.
  2. Uma igreja independente, embora conservasse muitos dos elementos da doutrina católica. Alterou o cerimonial da missa e substituiu o latim pelo alemão nos serviços religiosos. Rejeitou todas as hierarquias eclesiásticas, desde os padres, até o papa. O homem comum poderia comunicar-se diretamente com Deus.
  3. Cada indivíduo poderia interpretar livremente as Sagradas Escrituras. 
  4. Os sacerdotes obtiveram permissão para contrair o matrimônio. Dos sacramentos, conservou o batismo, o matrimônio e a eucaristia.

 

Consequências

 

Em 1920, Leão X promulgou uma bula em que dava sessenta dias para uma completa retratação. Lutero queimou publicamente a bula papal e, no ano seguinte, foi excomungado pela Igreja.

O movimento Luterano teve consequências que revolucionaram a sociedade da época e abriu caminho para rebeliões políticas e sociais. Afinal, se o único rei verdadeiro era Deus, por que continuar obedecendo à realeza?

A forma de protestantismo proclamada por Lutero, além da Alemanha, chegou até a Suécia, Dinamarca e aos Países Baixos. Várias doutrinas seguiram seus princípios, criando igrejas nacionais, como o Anglicanismo na Inglaterra, o Calvinismo na Suíça, além de diversas ramificações.

A própria Igreja Católica, a partir do Concílio de Trento (1545-1563), procederia a sua própria reforma que ficou conhecida com o nome de Contra Reforma.

Martinho Lutero faleceu em Eisleben, Alemanha no castelo de Frederico I, Príncipe da Saxônia, no dia 18 de fevereiro de 1546.

 

Fontes: 

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/historia-martinho-lutero-mestre-protestantismo-cristianismo-religiao.phtml
https://www.ebiografia.com/martinho_lutero/
https://www.sohistoria.com.br/biografias/lutero/
https://www.dw.com/pt-br/quem-foi-martinho-lutero/a-41141985
https://www.dw.com/pt-br/martinho-lutero-o-monge-que-revolucionou-o-mundo/a-36213487
https://brasil.elpais.com/brasil/2017/07/21/cultura/1500642089_505462.html