Mapa mental: Como fazer o seu de forma eficaz!

Mapa mental: Como fazer o seu de forma eficaz!

Estudar matérias diferentes não é uma tarefa fácil. Existem algumas técnicas para ajudar na memorização e organização do raciocínio de ideias. O mapa mental é um diagrama que te permite organizar diversos conceitos. Ele pode ser feito de forma escrita ou digital.

Quais os benefícios de fazer um mapa mental?

No livro “Mapas Mentais e sua Elaboração”, o escritor e psicólogo Tony Buzan explica a importância desse método para os estudos. Segundo ele, nosso cérebro encontra mais facilidade para se lembrar de imagens do que de palavras. Com isso, o registro não linear, imagens, cores e associação das palavras são características que tornam o Mapa Mental ótimo para memorização.

Como criar o seu mapa mental?

O recomendado é criar a mão, pois o cérebro retém de forma mais assertiva conteúdos por escrito. Caso prefira criar um digital, existem alguns aplicativos que podem auxiliar, como: Canva, Mindmeister, Mind Node ou Coggle.

Passo a passo:

1) Ideia central: escreva no centro, o tema principal que você vai desmembrar.
2) Setas: elas levam aos tópicos e depois aos subtópicos.
3) Ramificações: tópicos e subtópicos precisam estar bem visíveis. Explore símbolos, desenhos e códigos para diferenciar cada assunto.
4) Cores: auxiliam o cérebro a diferenciar os temas. 
5) Palavras-chave: deixam o material resumido e objetivo. Escolha palavras que te façam lembrar do conteúdo a partir delas.
6) Clareza: ao final, certifique-se de está simples e coerente, baseado em hierarquias e ordens.

Quais os erros que você deve evitar ao criar o seu mapa mental?

– Não ter estímulo visual, por isso é importante segmentar cores e formatos para cada assunto.
– Não selecionar as palavras-chave de forma estratégica, fazendo com que o conteúdo fique sem sentido.
– Não seguir uma organização radial, ou seja: do centro para as bordas.
– Não definir as categorias de forma estruturada e sistemática.
– Escrever textos ao invés de tópicos, deixando mapa confuso e sem objetividade.
– Usar o mapa de outra pessoa.

Agora que você já sabe os benefícios de criar um mapa mental para os estudos, você já pode começar a colocar essa tarefa em prática. Após escolher como você fará o seu, o ideal é começar a praticar. Que tal fazer um para cada matéria? Escolha as palavras-chave que vão te ajudar a memorizar os assuntos que cairão na prova e boa sorte!