Grafite na Antiguidade Clássica

Expressões de Grafite na Antiguidade Clássica

Grafite, grafito ou grafite é o nome dado às inscrições feitas em paredes. O Grafite diferencia-se por uma elaboração mais intricada, da simples pichação, quase sempre taxada como contravenção.

No entanto, muitos grafiteiros sagráveis, como Os Gêmeos, criadores de inúmeros grafites em várias paredes do mundo, confirmam ter um passado de pichadores. Na língua inglesa, apesar disso, usa-se o termo graffiti para ambas as expressões.

A técnica de grafar paredes é tão ancestral que nos envia aos tempos da Pré-História. Nas pinturas deixadas nas paredes das cavernas, nossos antepassados descobriram um meio de reproduzir suas vidas, vista hoje como prova visual de uma mentalidade pré-histórica não menos importante que os registros escritos posteriormente.

Na antiguidade, destacamos a civilização egípcia, que apesar de estar mais interessada na arquitetura e nas esculturas do que nas pinturas, produziu uma pintura fortemente ligada a vida religiosa.

Sobre essa sociedade, é ainda curioso que se saiba que, os afrescos usados no interior das pirâmides possuem padrões rígidos de representação. Nas pirâmides, os afrescos são essencialmente simbólicos. Era comum que cidadãos ricos do Egito tivessem em suas casas murais como elemento decorativo. Os pigmentos eram adquiridos da natureza, através de pó de minérios, substâncias orgânicas.

A relação entre o Grafite e a pintura egípcia vai além do uso da parede como forma de expressão e comunicação. A pintura egípcia usava a escrita –hieroglífico – com forma de unir a leitura verbal com a visual, tão comum nos grafites.

O grafite também foi comum no Império Romano e assim como hoje, suscitava fortes debates entre a população. Tão comuns como hoje, as expressões, frases e desenhos em muros criticavam políticos, ironizavam governantes ou apenas registravam fatos daquela civilização. Censurados pela elite romana e vista como a principal forma de expressão da plebe, os grafites e a pichações eram uma marca das grandes cidades do Império.

Gravura (1854-90) dos irmãos Fausto e Felice Niccollini da Rua Templo de Júpiter Pompeia, Itália.

Claudia Santiago Bedê Scheufler

Adicionar novo