Coronavírus: Redução da poluição global

Coronavírus: Redução da poluição global

Imagens de satélite chamaram a atenção de cientistas para a diminuição de poluição em países que entraram em quarentena. O evento se justifica pela diminuição de liberação de dióxido de carbono CO2 e dióxido de nitrogênio (NO2) na atmosfera com a redução da circulação de carros e atividades industriais.

Em meados de fevereiro, um estudo do Centro de Pesquisa em Energia e Ar Limpo (Crea) com sede na Finlândia indicou que, no período de 3 a 16 de fevereiro, as emissões de CO2 na China haviam diminuído quase 25% em comparação com o mesmo período do ano anterior, representando uma redução de 6% nas emissões globais no mesmo período.

É possível ver a mudança na animação abaixo da Agência Espacial Europeia (ESA) que mostram a diminuição de poluentes a partir do dia 20 de janeiro, início da quarentena e o aumento com a recuperação da economia no final de fevereiro.

 

Fei Liu, pesquisador de qualidade do ar no Centro de Voos Espaciais Goddard da Nasa, afirma que: “É a primeira vez que um evento específico causa uma redução tão drástica das emissões de poluentes na atmosfera em uma área tão ampla.”

Outro país que chamou atenção na queda de emissão de poluentes, foi a Itália. Imagens do norte do país mostram que as medidas de emergência para impedir o avanço do novo coronavírus, também impactaram na diminuição de poluentes. 

A Itália fez progressos significativos na redução de suas emissões e se alimenta principalmente de gás natural e energia renovável, os especialistas acham que o declínio se deve a uma diminuição no uso de veículos. O efeito pode ser verificado no vídeo da ESA a seguir:

 

Em Veneza, outro fato curioso aconteceu: os famosos canais da cidade estão com a água cristalina, é possível ver peixes nadando e o fundo, o que era praticamente impossível semanas atrás com o movimento das embarcações no local. 

As águas dos canais são conhecidas por serem escuras e mal cheirosas. Pela primeira vez em muitos anos, é possível ver peixes a nadar sob o leito arenoso, avistam-se cisnes e patos. A exceção, causada pela propagação de casos do novo coronavírus, traz questionamentos sobre a sustentabilidade ecológica do turismo nessa região sem esquecer que há questões financeiras relacionadas. Acredita-se que a perda do turismo pode chegar a 5 bilhões de euros.

 Espera-se que após o período de quarentena os níveis de poluição voltem a subir, principalmente pelo acúmulo de materiais plásticos utilizados pelo pelos sistemas de saúde e  os carros vão voltar a circular. Mas é preciso fazer uma reflexão de como podemos diminuir o uso de carros a diesel, do carvão nas indústrias e outros combustíveis poluentes.

Fontes:

https://www.esa.int/

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/03/norte-da-italia-reduz-poluicao-depois-de-isolamento-causado-pelo-coronavirus.shtml

https://www.extraclasse.org.br/ambiente/2020/03/pandemia-reduz-poluicao-na-atmosfera/

https://www.dw.com/pt-002/coronav%C3%ADrus-reduz-polui%C3%A7%C3%A3o-global/a-52840270

https://www1.folha.uol.com.br/turismo/2020/03/isolamento-por-coronavirus-deixa-canais-de-veneza-cristalinos.shtml

https://vejasp.abril.com.br/blog/arte-ao-redor/veneza-coronavirus/

https://super.abril.com.br/ciencia/como-a-poluicao-do-ar-na-china-oscilou-com-o-surto-do-novo-coronavirus/