Epidemias ao longo da história

Epidemias ao longo da história

A humanidade já sofreu com diversas epidemias, propagadas por vírus, bactérias ou outros micro-organismos, ao longo da história. Populações foram verdadeiramente dizimadas em tempos em que a medicina ainda não era avançada como nos dias de hoje. Estragos foram tão expressivos como grandes guerras ou desastres naturais.

Os estudos dessas doenças possibilitou que hoje existam protocolos de atendimento, de prevenção e atuação do Estado e Órgão de Saúde. Algumas não foram erradicadas e exigem atenção até hoje. Vamos ver algumas delas?

 

Peste Negra (1333 – 1351)

Bactéria Yersinia pestis
Transmissão: Pulgas dos ratos e outros roedores
Combate: Melhora da higiene e o saneamento nas cidades, diminuindo a quantidade de ratos urbanos.

A Peste Negra é considerada a maior epidemia da história da humanidade. Acredita-se que ao fim da Idade Média, no século XIV, o número de mortos por conta da doença tenha variado entre 75 e 200 milhões de pessoas. Estima-se que um terço da população do continente europeu tenha morrido por conta da doença. 

A própria noção de quarentena surgiu nesse período da história: a então República de Veneza foi bastante atingida pela peste negra. Um membro do clero sugeriu que se adotasse a restrição de circulação livre das pessoas, especialmente daquelas que chegavam em barcos e navios. 

 

Tuberculose 

Bactéria Mycobacterium tuberculosis – o bacilo de Koch
Transmissão: Pessoas contaminadas
Combate: Antibiótico por 6 meses para pessoas contaminadas e para crianças até 4 anos a vacina BCG (Bacillus Calmette-Guérin) é uma forma de prevenção.

Em 2018, cerca de 10 milhões de pessoas contraíram tuberculose no mundo e 1,5 milhão morreram da doença. Foram vítimas da doença estão o poeta romântico Castro Alves, o cantor Noel Rosa, o dramaturgo Nelson Rodrigues e o escritor modernista Manuel Bandeira.

 

Varíola (1896 – 1970)

Vírus Orthopoxvírus variolae
Transmissão: Pessoas contaminadas
Combate: Vacinação

De 1896 a 1980, 300 milhões de pessoas morreram em consequência à varíola. A doença atormentou a humanidade por aproximadamente três mil anos, sendo erradicada nos anos 80 após uma campanha de vacinação em massa. Nomes famosos como o faraó egípcio Ramsés II, a rainha Maria II da Inglaterra e o rei Luís XV da França foram vítimas da temida “bexiga”.

 

Gripe espanhola (1918 – 1920)

Vírus Influenza
Transmissão: Pessoas contaminadas
Combate: Evitar o contato com pessoas contaminadas e higiene das mãos

Contaminou mais de 500 milhões de pessoas e provocou entre 17 e 50 milhões de mortes. Ao menos um quarto de toda a população do planeta se infectou com essa doença. 

Bares fixaram anúncios dizendo que a cerveja curava a gripe. O povo, num ato de desobediência civil, ignorava as orientações e seguia participando de enterros ou indo às missas. A estátua do Nosso Senhor do Bonfim teve de ser retirada do altar porque as pessoas faziam peregrinação para beijar os pés do santo, transformando-se num ponto de contágio.

 

Tifo (1918 – 1922)

Bactérias do gênero Rickettsia
Transmissão: Insetos infectados (piolhos, pulga dos ratos e carrapatos).
Combate: Uso de antibióticos nos doentes, higiene e saneamento básico.

O ambiente pós Primeira Guerra Mundial deixou a Europa um lugar extremamente propício para a propagação de doenças. Muita miséria, falta de saneamento básico e detecção acabou por espalhar ratos por todo o continente.

 

Ebola (1976)

Vírus do gênero Filovirus
Transmissão: Pessoas ou animais contaminados
Combate: Isolamento, quarentena dos contaminados, hidratação e controle de outras complicações infecciosas.

Surtos de ebola atingiram países da África em 1995, 2000, 2007, mas foram controlados. O surto de 2014 atinge Guiné, Serra Leoa e Libéria e já há casos confirmados na Nigéria. A OMS determinou estado de “emergência sanitária mundial” com o objetivo de conter o vírus e barrar surto de Ebola, o maior de que se tem conhecimento até agora.

 

Sarampo

Vírus Morbillivirus
Transmissão: Pessoas contaminadas.
Combate: Vacina

O sarampo era uma das doenças que mais matavam crianças até 1963, quando foi descoberta a primeira vacina. Em 2010, 139,3 mil pessoas morreram em decorrência do sarampo, grande parte delas na Índia e no continente africano.

 

Cólera 

Bactéria Vibrio cholerae
Transmissão: Água e alimentos contaminados ou a manipulação de alimentos por pessoas infectadas.
Combate: Higiene e saneamento básico. As vacinas disponíveis contra a cólera oferecem proteção relativa e de curta duração.

A 7ª pandemia de cólera teve início na Indonésia, em 1961, e atingiu o Brasil em 1991 pela fronteira do Amazonas com o Peru. A partir de 1995, houve uma importante diminuição no número de casos de cólera no país. Em 2005, os últimos casos do país.

 

Gripe Suína (2009 – 2010)

Vírus H1N1
Transmissão: Pessoas contaminadas
Combate: Evitar o contato com pessoas infectadas, higiene das mãos e vacina.

A pandemia causada pelo vírus H1N1 teve um surto global, com os primeiros casos surgindo no México em março de 2009. No final do mês de abril, a OMS declarou Emergência de Saúde Pública em Âmbito Internacional.

 

Fonte:

https://gauchazh.clicrbs.com.br/geral/noticia/2014/08/Conheca-10-doencas-que-assolaram-o-mundo-no-ultimo-seculo-4569160.html
https://saude.gov.br/saude-de-a-z/tuberculose
https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/ebola/
https://saude.abril.com.br/blog/tunel-do-tempo/semelhancas-covid-pandemias-passado/
https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/sarampo/
https://tnsul.com/2020/destaque/as-grandes-epidemias-ao-longo-da-historia/

50 anos do Queen

50 anos do Queen

Formada pelos amigos de escola Brian, Roger Meddows Taylor e Freddie Mercury e, pelo baixista profissional que encontraram posteriormente, John Deacon, o Queen foi uma das maiores bandas do rock internacional.

A banda foi criada em 1970 e esse ano comemora 50 anos de formação com o nome de Smile, logo após a entrada de Freddie no grupo a banda mudou o nome para Queen, e depois de experimentar uma série de baixistas, a formação definitivamente acabou se completando com John Deacon.

Depois de uma maratona de ensaios e pequenos shows, eles conseguiram gravar seu primeiro álbum no ano de 1973 pela EMI. Como o álbum não obteve o espaço esperado, eles fizeram apenas uma turnê abrindo shows para a banda “Mott The Hoople”.

As excentricidades da banda e de Mercury começaram a chamar a atenção do público, já em 1974 a banda lançava o álbum QUEEN II, ficando em quinto lugar entre os discos mais vendidos da Inglaterra. Com o reconhecimento merecido, a banda realizou sua primeira turnê como atração principal.

Em novembro do mesmo ano, eles gravaram “Sheer Attack” que consagrou o Queen como um grande sucesso mundial. Muito além das expectativas da banda e da própria gravadora, eles tiveram que estender a turnê, chegando a se apresentar em lugares diferentes na mesma noite.

A consolidação da banda veio com o lançamento de Night At The Opera, lançado no ano de 1975. Com a fusão de vocais perfeitos alinhados e instrumental bem trabalhado, unindo o rock e a música clássica o Queen se colocou realmente no topo. Músicas como “Bohemian Rhapsody” e “Love of my life” encantaram fãs de todos os cantos do planeta.

No ano de 1982, Hot space possuía a faixa Under Pressure, com a participação especial de David Bowie, esse definitivamente foi um álbum que acabou liderando todas as paradas do mundo, colocando naquela época a banda Queen simplesmente dentro da categoria de fenômeno musical pelo fato de ter vendido mais de cerca de um milhão de cópias de oito de seus dez discos lançados.

Sem dúvida, a apresentação do Queen no show beneficente Live Aid em Wembley, em Londres, em 1985, foi a mais famosa da história da banda. Foi realizado em 13 de julho de 1985, com renda destinada a povos que passavam fome na África. 72.000 mil pessoas foram no estádio para as apresentações de músicos famosos.

No mesmo ano, a banda se apresentou 2 dias durante o Rock in Rio, é lembrado até hoje como o melhor show do festival. O primeiro dia estabeleceu um recorde de público (que até hoje não foi batido), um impressionante número de 300 mil pessoas. A setlist incluiu os maiores sucessos, como: Love of my Life, We Will Rock You, We Are the Champions, I Want to Break Free e Bohemian Rhapsody

Infelizmente, em 1991, já não era mais possível esconder o estado de saúde precário e irreversível do cantor Freddie, que acabou vindo a falecer no dia 24 de novembro deste ano, e por coincidência do acaso na véspera de sua morte Freddie acabou declarando o seguinte: “Seguindo as especulações da imprensa, quero afirmar que sou soro positivo, portanto tenho AIDS. Achei correto manter isso em segredo, para manter minha posição e a do meu grupo. Espero contar com a colaboração de todos, e que, meus médicos lutem contra essa terrível doença”.

Um luto e uma comoção geral aconteceram por conta do falecimento tão precoce de um dos ídolos mais talentosos quase pode existir. Freddie Mercury foi um dos primeiros astros do alto escalão a morrer por causa dessa doença, e sua história e a história da Aids estão, de certa forma, inextricavelmente ligadas.

Nos seus últimos gestos e pedidos antes de sua morte Freddie solicitou para que fosse lançado um single com Bohemian Rhapsody e These Are the Days of Our Lives, e que os lucros fossem absolutamente todos revertidos e destinados para as entidades de combate à AIDS.

Foi lançado Made in Heaven, em 1995, com as músicas inéditas da banda Queen, sendo que nas faixas havia somente as partes do vocal e do piano criadas por Freddie. Dois anos depois lançaram e gravaram uma música inédita chamada No one But You escrita pelos membros remanescentes em homenagem a Freddie.

Vocalistas da banda após a morte de Mercury
2007 – Paul Rodgers
2012 – Adam Lambert

Fontes

https://www.queennet.com.br/queen/historia/
https://www.webartigos.com/artigos/a-historia-da-banda-queen/56708
https://www.bbc.com/portuguese/geral-46233147
https://elcosturas.com.br/a-historia-do-queen-de-freddie-mercury/
https://rollingstone.uol.com.br/noticia/por-que-familia-de-freddie-mercury-nao-foi-ao-show-do-queen-no-live-aid/
https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/historia-queen-a-inesquecivel-passagem-da-banda-pelo-rock-rio-em-1985.phtml

Coronavírus: Cursos Online Gratuitos

Coronavírus: Cursos Online Gratuitos

Como a recomendação é ficar em casa, nós fizemos uma lista de cursos com acesso gratuito online. São diversas opções com temas de empreendedorismo, marketing, criatividade, aperfeiçoamento do inglês e até para o desenvolvimento de soft skills para liderança, relacionamento interpessoal e inteligência emocional. Não deixe essa oportunidade passar, veja os cursos que você mais se identifica e dê o play!

Casa do Saber On Demand
https://digital.casadosaber.com.br/
Todos os cursos do aplicativo estão com acesso liberado até o dia 18/04. Você encontra para baixar tanto para IOS quanto para Android. Os cursos têm temas na área de filosofia, artes, história, empreendedorismo e muito mais.

Lit On Learning
https://lit.com.br/
A Plataforma de cursos da Saint Paul Escola de Negócios, liberou todos os cursos até o dia 30 de abril. É possível fazer cursos nas áreas de empreendedorismo, gestão, liderança e marketing.

Chatclass
https://www.chatclass.com.br/
A educação que funciona via WhatsApp, que conecta professores, alunos e tutores estrangeiros para que possam praticar o Inglês da melhor forma: falando. Liberado gratuitamente até 17/04.

Espm
https://www.espm.br/educacao-a-distancia/pocket-live/?utm_source=Linkedin&utm_medium=Nac&utm_campaign=Ead
Cursos gratuitos e rápidos por webconferência. Aulas com temas atuais do mercado.
Precisa se inscrever para participar. Acesse o link acima e localize os cursos de seu interesse, em seguida faça seu cadastro.

Harvard
http://www.edx.org/school/harvardx
Procure cursos on-line gratuitos em uma variedade de assuntos. Você pode fazer gratuitamente ou os alunos podem optar por receber um certificado pagando uma pequena taxa.

Udemy
https://www.udemy.com/courses/search/?kw=cursos%20gratuitos&price=price-free&q=cursos%20gratuitos&src=sac&sort=most-reviewed
Uma variedade de assuntos disponíveis, desde como utilizar ferramentas e plataformas a cursos de língua e investimentos. São cerca de 400 cursos liberados.

Senai
https://loja.mundosenai.com.br/senainacional/
O Senai nacional e os estaduais liberaram uma série de cursos gratuitos para serem feitos durante a quarentena voltados não só para o setor da indústria, mas para um conjunto de atividades.

LinkedIn
https://www.linkedin.com/learning/paths/trabalho-remoto-colaboracao-foco-e-produtividade
O LinkedIn criou uma trilha de cursos para aperfeiçoar soft skill. Inicialmente voltado para o mercado de trabalho, mas pode ser aplicado a qualquer pessoa, desenvolvendo habilidades de liderança, organização, gestão e melhorando sua produtividade.

Faber-Castell
https://cursos.faber-castell.com.br/combos/combo-numero-emcasacomfabercastellhttps://cursos.faber-castell.com.br/combos/combo-numero-emcasacomfabercastell
Todos os cursos da plataforma estão liberados até o dia 19/04. São cursos para desenvolver a criatividade e habilidades de desenho para todas as idades, com atividades até para a família.

Fundação Estudar
http://conteudos.napratica.org.br/trilha-na-pratica/?utm_source=facebook_fe&utm_medium=social&utm_campaign=trilha-na-pratica&fbclid=IwAR1pWPAtdCojvLeUhKSzDCTJmopK_bbMhMkwvAqm1Y0jDzjLw_VB1u_EyE8
Criou uma trilha de desenvolvimento social com aulas separadas por temas, abertos por trimestres até dezembro. A trilha é gratuita e tem o objetivo de desenvolver líderes.

Coronavírus: Museus para visitar online

Coronavírus: Museus para visitar online

Com o início dos casos de Coronavírus no mundo, os museus e casas de arte foram um dos primeiros a serem fechados, principalmente por haver nesses ambientes um grande número de turistas. Pensando em levar a arte até as pessoas, museus do mundo todo disponibilizaram a opção de visitas virtuais. Muitos já ofereciam o serviço antes mesmo do surto de coronavírus. 

Selecionamos algumas dessas iniciativas para você ver durante a quarentena! Confira nossa lista:

Era Virtual

Visando a ampla divulgação e promoção do patrimônio cultural brasileiro, desde 2008 tem sido desenvolvido o projeto ERA VIRTUAL. Sua primeira iniciativa foi a criação de visitações virtuais a museus brasileiros e seus acervos. Na plataforma você pode visitar museus, exposições, patrimônios históricos, além de vídeos e jogos para as crianças.

http://eravirtual.org/ 

Pinacoteca di Brera – Milão

A Pinacoteca nunca tinha fechado suas portas, mesmo durante a 2ª Guerra Mundial, Brera estava aberto e, mesmo sob as bombas, a cidade estava livre e povoada. É possível visitar algumas coleções online.

https://pinacotecabrera.org/collezioni/

Galleria degli Uffizi – Firenze 

A Galleria degli Uffizi (Galeria dos Ofícios) é o mais famoso museu de Florença e um dos mais famosos e importantes museus do mundo.

https://www.uffizi.it/mostre-virtuali

Museo Archeologico – Atenas

O Museu Arqueológico Nacional de Atenas é o maior museu arqueológico da Grécia e um dos mais importantes do mundo dedicado à arte grega antiga.

https://www.namuseum.gr/en/collections/

Pinacoteca – São Paulo

A Pinacoteca de São Paulo através da ação #pinadecasa, conteúdos digitais diários estarão disponíveis no site e nas redes sociais para manter a conexão com o público, promovendo informações sobre a coleção e revisitando exposições.

http://pinacoteca.org.br/ 

Museu da Casa de Portinari – Brodowski (SP)

Antiga residência de Candido Portinari, em Brodowski, o Museu Casa de Portinari, é o local onde ele realizou suas experiências com pinturas murais e se aprofundou na técnica ao passar dos anos. No site é possível fazer uma visita virtual com visão 360º.

https://www.museucasadeportinari.org.br/TOUR-VIRTUAL/

Prado – Madrid 

O Museu do Prado (Museo del Prado) é o museu mais conhecido de Madrid e um dos museus de arte mais importantes do mundo.A coleção é baseada principalmente em pinturas dos séculos XVI a XIX. Entre seus quadros, conta com obras-primas de pintores como Velázquez, El Greco, Rubens, Hieronymus Bosch e Goya. No site você tem informações sobre os artistas e suas artes expostas.

https://www.museodelprado.es/en/the-collection/art-works 

Louvre – Paris

Um dos mais famosos e visitados museus de todo o mundo e o maior da França. As infinitas galerias do Louvre podem ser visitadas on-line, com visão 360º

https://www.louvre.fr/en/visites-en-ligne 

British Museum – Londres 

O Museu Britânico (British Museum), fundado em 1753, foi o primeiro museu nacional público do mundo. Nas últimas semanas o site teve um pico de visitas vindas dos países em quarentena. A Coleção on-line permite que os visitantes pesquisem mais de quatro milhões de registros de objetos on-line com acesso a destaques e histórias de cada uma delas.

https://www.britishmuseum.org/collection 

Metropolitan Museum – New York 

Uma seleção dos muitos vídeos, artigos e recursos on-line do The Met. Nas redes sociais você pode seguir o Museu usando a hashtag #MetAnywhere. No site você encontra o #metkids com curiosidades e projetos criativos para famílias em casa.

https://www.metmuseum.org/blogs/now-at-the-met/2020/digital-digest

Museu Nacional da UFRJ – Rio de Janeiro

Consumido por um incêndio em setembro de 2018, o Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, em parceria com o Google, disponibilizou um tour virtual com imagens capturadas pelo Street View desde 2016. A plataforma oferece ‘visita guiada’ em 360º pelo museu antes do incêndio, com oito exposições e diversas relíquias, como o meteorito de bendegó e Luzia, o fóssil humano mais antigo da história.

https://artsandculture.google.com/project/museu-nacional-brasil?hl=pt 

Google Arts & Culture

Além das páginas de cada instituição, Google Arts & Culture reúne dezenas de museus e galerias ao redor do mundo e permite visitas virtuais em espaços de arte. Com o serviço, o internauta tem a possibilidade de ver obras de renomados artistas e conhecer suas histórias. https://artsandculture.google.com/

Aproveite o passeio!

Coronavírus: Redução da poluição global

Coronavírus: Redução da poluição global

Imagens de satélite chamaram a atenção de cientistas para a diminuição de poluição em países que entraram em quarentena. O evento se justifica pela diminuição de liberação de dióxido de carbono CO2 e dióxido de nitrogênio (NO2) na atmosfera com a redução da circulação de carros e atividades industriais.

Em meados de fevereiro, um estudo do Centro de Pesquisa em Energia e Ar Limpo (Crea) com sede na Finlândia indicou que, no período de 3 a 16 de fevereiro, as emissões de CO2 na China haviam diminuído quase 25% em comparação com o mesmo período do ano anterior, representando uma redução de 6% nas emissões globais no mesmo período.

É possível ver a mudança na animação abaixo da Agência Espacial Europeia (ESA) que mostram a diminuição de poluentes a partir do dia 20 de janeiro, início da quarentena e o aumento com a recuperação da economia no final de fevereiro.

 

Fei Liu, pesquisador de qualidade do ar no Centro de Voos Espaciais Goddard da Nasa, afirma que: “É a primeira vez que um evento específico causa uma redução tão drástica das emissões de poluentes na atmosfera em uma área tão ampla.”

Outro país que chamou atenção na queda de emissão de poluentes, foi a Itália. Imagens do norte do país mostram que as medidas de emergência para impedir o avanço do novo coronavírus, também impactaram na diminuição de poluentes. 

A Itália fez progressos significativos na redução de suas emissões e se alimenta principalmente de gás natural e energia renovável, os especialistas acham que o declínio se deve a uma diminuição no uso de veículos. O efeito pode ser verificado no vídeo da ESA a seguir:

 

Em Veneza, outro fato curioso aconteceu: os famosos canais da cidade estão com a água cristalina, é possível ver peixes nadando e o fundo, o que era praticamente impossível semanas atrás com o movimento das embarcações no local. 

As águas dos canais são conhecidas por serem escuras e mal cheirosas. Pela primeira vez em muitos anos, é possível ver peixes a nadar sob o leito arenoso, avistam-se cisnes e patos. A exceção, causada pela propagação de casos do novo coronavírus, traz questionamentos sobre a sustentabilidade ecológica do turismo nessa região sem esquecer que há questões financeiras relacionadas. Acredita-se que a perda do turismo pode chegar a 5 bilhões de euros.

 Espera-se que após o período de quarentena os níveis de poluição voltem a subir, principalmente pelo acúmulo de materiais plásticos utilizados pelo pelos sistemas de saúde e  os carros vão voltar a circular. Mas é preciso fazer uma reflexão de como podemos diminuir o uso de carros a diesel, do carvão nas indústrias e outros combustíveis poluentes.

Fontes:

https://www.esa.int/

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/03/norte-da-italia-reduz-poluicao-depois-de-isolamento-causado-pelo-coronavirus.shtml

https://www.extraclasse.org.br/ambiente/2020/03/pandemia-reduz-poluicao-na-atmosfera/

https://www.dw.com/pt-002/coronav%C3%ADrus-reduz-polui%C3%A7%C3%A3o-global/a-52840270

https://www1.folha.uol.com.br/turismo/2020/03/isolamento-por-coronavirus-deixa-canais-de-veneza-cristalinos.shtml

https://vejasp.abril.com.br/blog/arte-ao-redor/veneza-coronavirus/

https://super.abril.com.br/ciencia/como-a-poluicao-do-ar-na-china-oscilou-com-o-surto-do-novo-coronavirus/

Coronavírus: Notícias boas para comemorar!

Coronavírus: Notícias boas para comemorar!

O distanciamento social voluntário para impedir o aumento de casos do coronavírus pode ser muito angustiante. Não poder sair, ser bombardeado por notícias com aumento de pessoas infectadas e mortes no mundo todo, decretos sendo publicados todos os dias aumentando as restrições, é um momento cheio de incertezas. Porém, no meio disso tudo, além de cumprir o dever como cidadão e ajudar a impedir que a contaminação fazendo a quarentena voluntária, é importante focar também nas notícias boas. Atenção, temos várias! Confira a nossa lista:

  • Já sabemos contra o que estamos lutando.

Os primeiros casos relatados na China aconteceram no dia 31 de dezembro de 2019, no dia 7 de janeiro de 2020 o vírus já tinha sido identificado e no dia 10 de janeiro, seu genoma estava disponível.

No Brasil, foi ainda mais impressionante! A sequência do genoma foi identificado em 48 horas no caso do primeiro paciente identificado com a doença no Brasil. Pesquisadores do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (IMT-USP) e do Instituto Adolfo Lutz (IAL), em parceria com cientistas britânicos da Universidade de Oxford, sequenciaram em tempo recorde o genoma do novo coronavírus encontrado.

Entre as principais utilidades de se mapear o genoma de um vírus está ajudar a entender o percurso da transmissão e o tempo em que ele está presente em determinada região ou país. Ao desvendar o histórico do coronavírus, autoridades e pesquisadores podem adotar as medidas adequadas para tentar conter sua disseminação.

Lembrando que o novo coronavírus é formalmente designado coronavírus 2 da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV2) é causadora da doença denominada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como COVID-19.

  • Sabemos como identificar o vírus.

O teste já existe desde o dia 13 de janeiro, e a partir do dia 19 de março, no Brasil, a Anvisa habilitou mais 8 testes que possuem detecção mais rápida da doença.

  • Sabemos como o corpo combate a COVID-19

Pesquisadores australianos identificaram células do sistema imunológico que atuam na defesa contra o vírus. A descoberta ajuda no desenvolvimento de uma vacina.

  • Sabemos como é transmitida e como nos proteger

A transmissão ocorre como uma gripe comum, a troca de secreções causa o contágio. Lavar as mãos a cada 3h e evitar sair de casa ajudam na prevenção.
Já falamos sobre isso nesse post CORONAVÍRUS.

  • A pesquisa científica não para!

Existem 8 protótipos de vacina sendo pesquisados e mais de 150 artigos publicados sobre a SARS-CoV2. Existe um esforço mundial para encontrar os remédios mais eficazes, determinar formas rápidas e seguras de controlar a pandemia e a vacina para evitar o contágio para principalmente o grupo de vírus.

  • Chinesa de 103 anos está curada

Moradora de Wuhan, Zhang é a pessoa mais velha no mundo a ser curada do COID-19. A idosa ficou 6 dias internada, ela é portadora de outras doenças. Contra as probabilidades, Zhang já voltou para casa!

  • Corrente de solidariedade ❤

Deixamos a melhor parte por último! 
Com o aumento dos casos e o início do isolamento, empresas e pessoas do mundo todo têm se mobilizado para ajudar aqueles que precisam. As iniciativas são de todo tipo, serviços online estão sendo disponibilizados de graça, pessoas estão ajudando os idosos a fazerem compras, empresas estão liberando seus funcionários para fazer home office ou liberando para recesso remunerado, existem iniciativas para ajudar os autônomos que terão redução de renda, famílias inteiras estão fazendo quarentena voluntária para ajudar a proteger a população, existe uma mobilização para aplaudir os profissionais da saúde, entre tantas outras ações, a sociedade civil está se organizando para que este período seja menos difícil para todos nós. Ainda bem!

Publicação feita 20/03.

Algumas informações podem sofrer alteração, uma vez que, a todo momento há uma nova descoberta sobre o assunto.

Coronavírus

Coronavírus

Escolas sem aulas, eventos cancelados e home office estão entre as medidas adotadas em todo o Brasil para enfrentar uma semana em que especialistas preveem um aumento nos casos de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Essas medidas estão sendo tomadas para que, evitando a circulação de pessoas, a curva de aumento de casos não tenha um pico tão íngreme e exista um controle maior pelo sistema de saúde dos doentes graves.

No Brasil, os números mostram que o país está distante de ter um número de leitos de UTI suficiente. De acordo com a Amib (Associação de Medicina Intensiva Brasileira), antes da infecção chegar ao país, a taxa de ocupação de UTIs para adultos no SUS chegava a 95%. O país tem atualmente 28 mil leitos de UTI habilitados para o SUS (Sistema Único de Saúde).

Uma boa regra que os epidemiologistas aprenderam nessa crise é a do 80/15/5.80% das pessoas se infectarão quase sem perceber. Neste caso, a doença será tão leve que não darão mais atenção além de um ocasional paracetamol. 15% pode sofrer pneumonia e precisará de tratamento. E o 5% restante precisará ficar na unidade de tratamento intensivo (UTI) de seu hospital. 80/15/5% é o ponto para entender as medidas que o Governo está tomando. 

O problema é: na cidade de Goiânia a população é de 1,302 milhão de pessoas, se 20% delas se infectarem (260.400 pessoas), e delas 5% precisarem de UTI, seriam 13.020 leitos. Imaginaram o caos para o sistema de saúde?

Veja o gráfico abaixo com os possíveis cenários para a gripe:

Fonte: Folha de São Paulo
Vamos aos conceitos?

Hoje, a doença já é considerada uma pandemia, saiba a diferença entre surto, epidemia e pandemia:

Surto
É quando há o aumento repentino dos números de uma doença em uma região específica.
Epidemia
É caracterizada quando há o aumento de surtos em diversas regiões.
Pandemia
Não se caracteriza pela gravidade da doença que ela causa. O principal fator é o geográfico. Segundo a OMS, uma pandemia é a disseminação mundial de uma nova doença. O termo é utilizado quando uma epidemia – grande surto que afeta uma região – se espalha por diferentes continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa.

O que é transmissão local, comunitária ou sustentada do coronavírus?

Transmissão local: São casos de pessoas que se infectaram com Covid-19, não estiveram em nenhum país com registro da doença, mas tiveram contato com outro paciente infectado, que trouxe o vírus de fora do país. Há casos assim no Brasil.
Transmissão sustentada ou comunitária: São casos de transmissão do vírus entre a população – um paciente infectado que não esteve nos países com registro da doença transmite a doença para outra pessoa, que também não viajou.

O que é o Coronavírus?

É uma família de vírus que causa síndromes respiratórias, como resfriado e pneumonia. Essa nova doença tem origem ainda incerta, mas o mais provável é que o vírus tenha vindo de animais vendidos no mercado central de Wuhan, metrópole chinesa onde o vírus foi descoberto, em dezembro de 2019.

Quais são os sintomas?

Além dos sintomas típicos da gripe – como febre, tosse, dor muscular e cansaço –, o coronavírus pode afetar o sistema respiratório da vítima, causando pneumonia e podendo matar. As pessoas mais suscetíveis às consequências graves do vírus são crianças, idosos e pessoas com problemas cardiovasculares.

Como é a transmissão?

O coronavírus é transmitido da mesma forma que uma gripe comum. Isso significa que a doença é transmitida pelo contato com secreções de pessoas contaminadas: gotículas de saliva, espirro, tosse, toque ou aperto de mão seguido de contato com boca, nariz e olhos.

Fonte: O Globo
Como se prevenir?
  1. Lavar as mãos a cada 3 horas e antes de ingerir alimentos
  2. Álcool em gel como forma complementar de higienização
  3. Tapar a boca na parte interna do braço ao espirrar e tossir
  4. Não tocar os olhos, boca e nariz se as mãos não estiverem lavadas
  5. Não compartilhe copos, pratos, talheres, toalhas e objetos de uso pessoal
  6. Evite multidões e aglomerações. Só saia de casa se muito necessário.

É recomendado manter as unhas mais curtas e reduzir o uso de adornos, como anéis e pulseiras, ajuda a manter as mãos limpas por mais tempo. Quando o esmalte começa a sair é bom retirá-lo por completo, porque o craquelado vira ambiente acolhedor para microorganismos. Evite também unhas postiças e de gel.

Estou com sintomas, o que posso fazer?

A recomendação é que as pessoas infectadas fiquem isoladas e permaneçam em observação. Elas devem ficar em repouso e se hidratar. Além disso, é recomendável se medicar com analgésicos para aliviar os sintomas.

O Ministério da Saúde disponibiliza gratuitamente o aplicativo Coronavírus-SUS para celulares Android e iOS, que traz instruções de como proceder e entrar em contato com a unidade pública de saúde mais próxima.

COMO FUNCIONA O DIAGNÓSTICO
Fonte: G1

O Ministério da Saúde atualiza as informações sobre a pandemia no site https://coronavirus.saude.gov.br/ Cuidado com as informações recebidas nesse período, procure em fontes seguras e siga as orientações para a prevenção!

Fontes

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/03/11/O-caminho-para-desenvolver-uma-vacina-contra-o-coronav%C3%ADrushttps://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/01/29/Por-que-o-clima-no-Brasil-dificulta-a-transmiss%C3%A3o-do-coronav%C3%ADrus
https://www.bbc.com/portuguese/geral-51842518
https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/03/grafico-mostra-a-importancia-de-desacelerar-a-disseminacao-do-coronavirus.shtml?utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=twfolha
https://www.dw.com/pt-br/opini%C3%A3o-o-coronav%C3%ADrus-e-a-arte-do-poss%C3%ADvel/a-52794636
https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/03/15/Novo-coronav%C3%ADrus-quando-um-pa%C3%ADs-%C3%A9-incentivado-a-parar?utm_medium=Social&utm_campaign=Echobox&utm_source=Twitter#Echobox=1584329113
https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/03/06/Quais-s%C3%A3o-os-n%C3%ADveis-de-transmiss%C3%A3o-do-novo-coronav%C3%ADrus
https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2020/02/27/coronavirus-veja-perguntas-e-respostas.ghtml
https://oglobo.globo.com/sociedade/coronavirus-servico/guia-visual-do-coronavirus-tire-suas-duvidas-saiba-como-prevenir-24290668
https://www.bbc.com/portuguese/geral-51742667
https://www.bbc.com/portuguese/internacional-51718755
https://piaui.folha.uol.com.br/o-ritmo-da-pandemia/

Chuva de Conectivos

Chuva de Conectivos

Criamos uma lista de conectivos para te ajudar na redação e não repetir as palavras ao longo do texto. Imprima ou baixe para ter fácil acesso sempre que for necessário. 

  • Ideia de SOMA

e, nem, também, não só…mas também, assim como, como também, ademais, outrossim, além disso.

  • Ideia de CONCLUSÃO

logo, portanto, então, assim, enfim, por isso, por conseguinte, de modo que.

  • Ideia de CONTRAPOSIÇÃO

mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto, senão, embora, ainda que, mesmo que, mesmo quando, apesar de que, se bem que, não obstante.

  • Ideia de JUSTIFICATIVA

pois, porque, que, porquanto

  • Ideia de COMPARAÇÃO

mais que, menos que, tão…quanto, tão…como, tanto…quanto, tal qual, da mesma forma, da mesma maneira.

  • Ideia de CONFORMIDADE

conforme, como, segundo, consoante, de acordo com

  • Ideia de CONDIÇÃO

se, caso, desde que, contanto que, exceto se, salvo se, a menos que, a não ser que, sem que.

  • Ideia de FINALIDADE

a fim de que, para que, que, porque (=para que).

  • Ideia de CONSEQUÊNCIA

tão… que, tal… que, tanto…que, tamanho…que, de forma que, de modo que, de sorte que, de maneira que.

  • Ideia de PROPORÇÃO

à medida que, à proporção que, ao passo que, quanto mais, quanto menos.

  • Ideia de DÚVIDA

talvez, porventura, provavelmente, possivelmente, quiçá.

  • Ideia de AFIRMAÇÃO

por certo, sim, certamente, realmente, seguramente, efetivamente, incontestavelmente, com certeza, sem dúvida.

  • Ideia de NEGAÇÃO

não nunca, jamais, tampouco, de modo algum, de jeito nenhum, em hipótese alguma.

  • Ideia de EXPLICITAÇÃO

quer isto dizer, isto (não) significa que, por outras palavras, isto é, por exemplo.

  • Ideia de SEQUÊNCIA

primeiramente, para começar, em primeiro lugar, num primeiro momento, antes de, em segundo lugar, num primeiro momento, antes de, em segundo lugar, em seguida, logo após, depois de, por último, concluindo, para terminar, em conclusão, em síntese, finalizando.

  • Ideia de REFORMULAÇÃO

em outras palavras, mais precisamente, ou melhor, dito de outro modo, em outros termos, ou melhor, dito de outro modo.

  • Ideia de RESUMO

em síntese, em suma, em resumo.

Enchentes, Inundações e Alagamentos

Enchentes, Inundações e Alagamentos

O problema das enchentes passou a ser algo comum na vida das populações de algumas cidades. Infelizmente, todo o ano entre os meses de dezembro e fevereiro, vemos as cidades serem destruídas por problemas relacionados com a elevação dos cursos d´água e a inundação de casas e ruas, desencadeando uma série de tragédias que, quase sempre, poderia ser evitada.

É natural que no período de chuvas o nível da água suba, mas devido a alteração no curso dos rios, a canalização deles, impermeabilização do solo, a retirada de vegetação do entorno do rio e outras diversas alterações ocasionadas pela urbanização, as perdas irreparáveis para a população. Um planejamento urbano bem feito presume uma estrutura urbana que suporte as ações da chuva o ano todo, mas o crescimento desenfreado das cidades e as intervenções urbanas têm intensificado os estragos.

Antes de falar sobre as soluções e consequências desses desastres, vamos traduzir alguns termos e conceitos importantes.

Leito vazante: é o espaço ocupado pelo escoamento das águas baixas, acompanhando a linha de maior profundidade do canal, sendo responsável pelo escoamento das águas na época de estiagem.

Situação normal: nível d’água normal da drenagem restrito ao leito menor. É um espaço bem delimitado, com margens geralmente bem definidas, e no qual a freqüência de escoamento é suficiente para impedir o estabelecimento de vegetação.

Enchente ou cheia: o aumento do nível da água no canal de drenagem em função do aumento da vazão, atingindo a cota máxima do canal, porém, sem que isso gere transbordamento.

Inundação: é o transbordamento das águas de um curso de água. O transbordamento inunda a região quando o sistema de drenagem não é capaz de conter a vazão de chuva. Existem três tipos de inundação:

Inundação fluvial: quando fortes chuvas causam o transbordamento de rios e lagos;
Inundação marítima: originada por grandes ondas e ressacas;
Inundação artificial: causada por falhas humanas, como por exemplo o rompimento de barragens.

Alagamento: é o acúmulo momentâneo de águas em perímetro urbano por deficiência no sistema de drenagem, cobrindo obre pequena parte da planície.

Enxurrada: grande quantidade de água que corre com violência, resultante de chuvas abundantes.

Solapamento de margens: queda das encostas provocadas pelo aprofundamento das calhas fluviais e erosões das margens dos cursos d’ água.

Assoreamento: é o processo em que se observa no leito dos rios acúmulo de detritos, lixo, entulho ou outros materiais. No fundo dos rios e lagoas, esse acúmulo interfere na topografia de seus leitos impedindo-os de portar todo o seu volume hídrico, provocando transbordamento em épocas de grande quantidade de chuvas.

O ponto principal a ser tratado é avaliar quais ações deveriam ser tomadas para reduzir os danos ocasionados pelas chuvas e evitar, inclusive, as mortes provocadas por elas. O fato é que as inundações e desabamentos precisam deixar de serem tratados como consequências meteorológicas e enfrentados como realmente é,  uma combinação de fatores: ocupação desordenada, acúmulo de lixo, falta de planejamento urbano, inexistência de um plano de crise para colher famílias em áreas de risco. 

A maioria dos problemas no Brasil de ordem geológica e hidrológica é de certa forma induzida por erros técnicos cometidos pelo homem na gestão do uso do solo.

Atenção! Repertório:

A responsabilidade em relação aos desastres é dos governos Federal, Estadual e Municipal e para isso, precisa existir uma articulação entre eles. A esfera municipal deveria tratar do planejamento e da contenção, mas em muitos casos falta estrutura organizacional, financeira e até técnica para tratar do assunto, é aí que entra a participação das outras esferas de governo.

Tal articulação já é prevista em Lei, por intermédio da Política Nacional de Proteção e Defesa Civil – PNPDEC, instituída pela Lei nº 12.608 de 10 de abril de 2012, publicada no Diário Oficial da União nº 70, de 11 de abril de 2012, traz os princípios, os objetivos e instrumentos de como a gestão de riscos de desastres e a gestão de desastres serão implementadas no Brasil, com o propósito de assegurar condições sociais, econômicas e ambientais adequadas para garantir a dignidade da população e garantir a promoção do desenvolvimento sustentável. 

Mas só se tornou possível depois de sucessivas tragédias que ocorreram, e mesmo assim, falta na prática algumas ações de contingenciamento e prevenção:

  • Aumentar a irrigação do solo: usar pavimentação porosa, uso de poço e trincheira de infiltração.
  • Retardar o escoamento com o uso de telhados verdes, recuperar a vegetação ao redor dos rios.
  • Limpeza periódica das drenagens, antes do período de chuvas. O desentupimento de bueiros é essencial para evitar possíveis tragédias, bem como a retirada de objetos, móveis velhos e jogados pelas vias.
  • Evitar e impedir novas construções em áreas de risco área do leito maior do rio e da planície de inundação.
  • Manter histórico de eventos no município, com data das ocorrências, quantidade de chuva precipitada, altura da lâmina d’água durante as inundações, tempo de permanência da inundação.
  • Instalar sistema de alerta de chuvas.

O cuidado para evitar enchentes, inundações e alagamentos prevenir outros problemas, consequências desse tipo de evento, doenças, perda de habitações e até mortes. O processo de inundação afeta a infraestrutura e a saúde pública de uma cidade, é preciso a interação de serviços públicos como defesa civil, manutenção do sistema de drenagem, limpeza pública, para minimizar e mapear as ocorrências.  As ações de mitigação nem sempre solucionam o problema e é por isso que um plano de crise pode auxiliar a população, principalmente a população pobre, que mais sofre perdas. 

Vídeo para ajudar a entender os conceitos:

Fontes:
Manual de Proteção e Defesa Civil: A Política Nacional de Proteção e Defesa Civil de 2017
Curso de Capacitação de Técnicos Municipais para Prevenção e Gerenciamento de Riscos de Desastres Naturais – CPRM Serviço Geológico do Brasil
https://www.mdr.gov.br/protecao-e-defesa-civil/politica-nacional-de-protecao-e-defesa-civil
https://acqualisengenharia.com.br/
http://www.sanepar.com.br/

Reforma Luterana

Reforma Luterana

Martinho Lutero
Martinho Lutero

Lutero se tornou monge e em 1507, foi ordenado sacerdote. Ele foi enviado a Roma pela ordem agostiniana para tratar de negócios e se deparou com uma Cúria que enfrentava graves problemas financeiros devido a construção da Basílica de São Pedro.

Para arrecadar dinheiro, os líderes da Igreja introduziram a prática da venda de indulgências, alegando que as pessoas poderiam alcançar o perdão por seus pecados fazendo boas ações ou pagando à Igreja. 

“Tão logo uma moeda na caixa cai, a alma do purgatório sai.” Este ditado é atribuído ao monge dominicano Johan Tetzel, que era conhecido por vender indulgências em toda a Alemanha. 

Em 31 de outubro de 1517, escandalizado com o vergonhoso espetáculo que a Igreja Católica oferecia e indignado com a venda de indulgências, Lutero escreveu ao arcebispo Albrecht de Mainz pedindo a correção e disputa acadêmica, ou seja, um debate sobre o assunto.

Segundo o reformista, ele pregou nas portas da igreja de Wittenberg as 95 teses que desafiavam o poder de Roma. Isso, no entanto, nunca foi provado. Foram produzidos folhetos com as teses, o que garantiu grande circulação. Já a Igreja recusou o debate teológico proposto pelo religioso, Lutero não quis se retratar. 

A Reforma

 

Alguns princípios da reforma protestante de Lutero:

  1. A salvação do homem é feita apenas pela “justificação da fé”. Jejuns, peregrinações e sacramentos – ou a intercessão de padres e santo – não têm qualquer efeito para a redenção do homem.
  2. Uma igreja independente, embora conservasse muitos dos elementos da doutrina católica. Alterou o cerimonial da missa e substituiu o latim pelo alemão nos serviços religiosos. Rejeitou todas as hierarquias eclesiásticas, desde os padres, até o papa. O homem comum poderia comunicar-se diretamente com Deus.
  3. Cada indivíduo poderia interpretar livremente as Sagradas Escrituras. 
  4. Os sacerdotes obtiveram permissão para contrair o matrimônio. Dos sacramentos, conservou o batismo, o matrimônio e a eucaristia.

 

Consequências

 

Em 1920, Leão X promulgou uma bula em que dava sessenta dias para uma completa retratação. Lutero queimou publicamente a bula papal e, no ano seguinte, foi excomungado pela Igreja.

O movimento Luterano teve consequências que revolucionaram a sociedade da época e abriu caminho para rebeliões políticas e sociais. Afinal, se o único rei verdadeiro era Deus, por que continuar obedecendo à realeza?

A forma de protestantismo proclamada por Lutero, além da Alemanha, chegou até a Suécia, Dinamarca e aos Países Baixos. Várias doutrinas seguiram seus princípios, criando igrejas nacionais, como o Anglicanismo na Inglaterra, o Calvinismo na Suíça, além de diversas ramificações.

A própria Igreja Católica, a partir do Concílio de Trento (1545-1563), procederia a sua própria reforma que ficou conhecida com o nome de Contra Reforma.

Martinho Lutero faleceu em Eisleben, Alemanha no castelo de Frederico I, Príncipe da Saxônia, no dia 18 de fevereiro de 1546.

 

Fontes: 

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/historia-martinho-lutero-mestre-protestantismo-cristianismo-religiao.phtml
https://www.ebiografia.com/martinho_lutero/
https://www.sohistoria.com.br/biografias/lutero/
https://www.dw.com/pt-br/quem-foi-martinho-lutero/a-41141985
https://www.dw.com/pt-br/martinho-lutero-o-monge-que-revolucionou-o-mundo/a-36213487
https://brasil.elpais.com/brasil/2017/07/21/cultura/1500642089_505462.html

Semana de Arte Moderna de 1922

A Semana de Arte Moderna de 1922 em tópicos!

Cartaz Semana de Arte Moderna
Contexto histórico:

– 100 anos de independência do Brasil

– Fim da 1ª Guerra Mundial

– Influência das Vanguardas Européias

 

A Semana:

– Semana de 11 a 18 de fevereiro de 1922

– Teatro Municipal de São Paulo

– Exposições de música, pintura, escultura e literatura

– Linguagem coloquial e cotidiana

– Liberdade de expressão;

– Uso de novos materiais e técnicas

– Desejo de romper e abandonar os princípios, técnicas e ideologias importados

 

Principais participantes:

Anita Malfatti, Emiliano Di Cavalcanti, Oswaldo Goeldi, Menotti Del Picchia, Victor Brecheret, Hildegardo Leão Velloso, Wilhelm Haarberg, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Ronald de Carvalho, Álvaro Moreira, Heitor Villa-Lobos, Frutuoso Viana, entre outros.

semana-de-arte-moderna
Alguns participantes da Semana de Arte Moderna

Estado Gasoso

Gasoso: Um dos Três Estados da Matéria

O estado gasoso é um dos estados de agregação da matéria, como são também, os estados sólido e líquido. O estado gasoso, em particular, é o que apresenta as maiores variações apreciáveis de pressão e volume em função da variação de temperatura.

Temperatura, pressão e volume são as variáveis de um gás. Quando a ciência se refere ao estado de um gás, não é do estado de agregação que se trata e sim das condições de pressão, volume e temperatura na qual o gás se encontra.

No ensino médio, para estudar os gases e suas transformações físicas, devemos considerar algumas condições para o estudo:

  1. O volume da molécula do gás deve ser desprezível em relação ao volume do recipiente que o contém.
  2. A pressão exercida por um gás é o resultado dos choques das moléculas do gás com as paredes do recipiente que o contém.
  3. As moléculas do gás movimentam-se em trajetórias retilíneas, porém desordenadas (movimento browniano).
  4. Não devem ser consideradas forças de atração e repulsão entre as moléculas do gás, mesmo em misturas gasosas.
  5. A uma temperatura constante, a energia cinética média das moléculas deve ser considerada a mesma ( Ecin = KT ).

Consideradas essas condições, podemos estudar os gases, ditos ideais ou perfeitos, as suas transformações e seu comportamento.

As moléculas de um gás ideal encontram-se mais afastadas, ocupando um volume maior, o que implica na baixa densidade e na alta compressibilidade das substâncias que se encontram no estado gasoso.

O gás engarrafado em botijões (GLP – gás liquefeito de petróleo) que é uma mistura de propano e butano, não deve ser considerado, nessas condições de engarrafamento, um gás ideal ou perfeito. Dentro do botijão, sob alta pressão, as fases líquida e gasosa encontram-se em equilíbrio dinâmico de fases (líquido ↔ gasoso), portanto não existe somente o estado gasoso. Não é o comportamento de um gás perfeito ou ideal.

Um gás real aproxima-se do comportamento de um gás ideal, quando submetido a baixas pressões e a altas temperaturas. Esse é o caso de um gás rarefeito. Para isso acontecer, é imperiosa a condição de uma pequena concentração em quantidade de matéria (número de mols) por volume ocupado.

Quando subimos em uma montanha, ou seja, em locais de elevada altitude, o ar se torna mais rarefeito. Nessa situação precisamos respirar mais vezes para conseguir uma concentração de oxigênio que normalmente estamos acostumados a conviver. Por esse motivo, quando atletas que costumeiramente competem ao nível do mar, portanto, acostumados com alta concentração de oxigênio no ar, vão competir em regiões de elevada altitude, esses deverão fazer uma adaptação para o organismo se adequar à nova concentração de oxigênio no ar.

Os atletas do Quênia, que normalmente são os campeões nas maiorias das maratonas disputadas, treinam em regiões de elevada altitude, portanto são acostumados à baixa concentração de oxigênio no ar. Quando vem competir no Brasil levam uma grande vantagem em relação aos seus concorrentes.

Sylvio B. de Campos